29 de julho de 2010

O Terceiro Travesseiro [Resenha #004]

O Terceiro Travesseiro conta a história de dois amigos que são apenas amigos até que um deles resolve se declarar ao outro. A partir daí temos nuances de novela mexicana com sonhos adolescentes e duvidoso gosto culinário.

Tomei conhecimento da existência do livro através deste post do O Que Elas Estão Lendo, intrigado resolvi ler.

terceiro_travesseiroEscrito por Nelson Luiz de Carvalho, o livro navega em mares de superficialidade, e, por muitas e muitas vezes, naufraga. Tudo soa irreal, parece um sonho adolescente – gay. E talvez seja. Nada convence ou faz sentido, o que só piora com a chegada do terceiro travesseiro, leia-se uma garota numa relação homossexual, que transa com ambos, que também transam com ambos e assim vai. É o sistema um por todos e todos por um.

Por mais que possa parecer preconceituoso, velhaco, quadrado ou sei lá o  quê, não consigo digerir, e nem acredito que as coisas aconteçam daquela forma. Lembram quando disse que era uma “novela mexicana com sonhos adolescentes”? Pois é: no decorrer da história vemos a viagem paga pelo pai de um deles, um relógio caríssimo e o papo cabeça com um primo. – Não, o primo não entra “no esquema”.

Isso porque pouparei vocês dos dotes culinários apresentado pelos dois!

O livro, se escrito de maneira diferente, poderia ter suscitado um debate saudável sobre aceitação da homossexualidade tanto pela família quanto pela sociedade, sem esquecer dos maiores e mais interessados envolvidos nisso tudo – os adolescentes homossexuais representados pelos dois. Porém o autor optou por chocar, e, definitivamente, não acho que tenha sido o melhor caminho para atrair atenção – apesar de ter vendido muito, mas aqui entramos naquela da relação entre sucesso de público e qualidade, sobre a qual falei aqui.

O que poderia ser uma bela historia de amor, foi reduzida a um livro pseudo-pornô metido a romance. O final pode te emocionar, mas o amor é tão frívolo, e Marcus, um dos personagens, tão fraco, que senti vontade de arremessá-lo na parede.

Pra finalizar, se querem boa literatura com temática homossexual, leiam O Diário do Farol, de Ubaldo, ou Bom Crioulo, de Caminha.

O Terceiro Travesseiro, Nelson Luiz de Carvalho

 

{E}

__

Este post foi publicado, com mínimas diferenças, no dia 11 de janeiro de 2010, em meu outro blog.

13 comentários:

  1. Quero indicar um super livro, sensivel, erotico, revelador . . .
    Se trata de O LAÇO DO PASSARINHEIRO a disposição inteiramente em : WWW.CLUBEDEAUTORES.COM.BR
    POR: MARLON DE ALBUQUERQUE, UM EX PROSTITUTO. Este livro arranca, lagrimas, ESPERMA e provoca .No final fiquei em estado de choque, não tEm um final infeliz, mas tem um final cheio de descobertas crueis .
    O LAÇO DO PASSARINHEIRO já é um sucesso . . . isso se deve a forma linguistica, crua , agresiva, subjetiva e erotica.
    Depois desse livro DIEGO e Alexandre nunca mais será uma palavra comum em sua boca.
    bOA LEITURA!
    É o melhor livro LGBT dA ATUALIDADE.. .AMEI . . . INDICO mil vezes . . .Com esse livro aprendi amar de uma maneira diferente e tem dado certo.nota 10.
    Boa leituta.

    ResponderExcluir
  2. Amou tanto que indica comentando como "Anônimo", rsrs.

    ResponderExcluir
  3. Caramba, eu li este livro ontem a noite, e ainda estou em choque, é como se eu tivesse vivido tudo aquilo, eu chorei muito, espero que essa sensação desagradável passe logo, quando lembro do final, é muito ruim, nenhum livro mexeu tanto com meus sentimentos, achei muita conhecidência o Renato morrer quase no mesmo dia que eles conseguem ficar juntos, acho que foi a mãe do Marcus que fez macumba kkkkk só acho, más eu queria saber mais sobre esse livro, se aconteceu mesmo, eu li em algum site que o Renato não tinha morrido, qualquer dia vou visitar o tumulo dele rs' mas queria saber mais a respeito, não vi nenhuma entrevista com o autor, queria assistir o filme, más eu não teria coragem de assistir isso na frente dos outros, então, esse livro meu deu uma vontade de viver uma história de amor, tchau, tó indo ler dinovo kkkkk

    ResponderExcluir
  4. “O silêncio da morte é enorme. O do meu coração, maior ainda.”

    Está no ar, a resenha do livro - "O Terceiro Travesseiro", um romance transcendental entre dois jovens meninos...
    Vejam no link abaixo...
    [http://is.gd/ZOX8mv]

    ResponderExcluir
  5. Ok. Concordo que a descrever as atividades sexuais do casal, o autor veio a ser bem chocante, o que não favorece a causa gay, ainda mais num país tão retrógrado quanto o Brasil. Porém, acredito que a história não reside nisso e sim no sentimento de felicidade absurda que sente o Marcus a través todo esse lance de experimentar com alguém em quem ele confia e, mais tarde, ama.
    Além disso, por que esse tom sarcástico sobre o acordo a três pessoas? Não é comum, certo, mas é longe de ser impossível e "irreal". Quanto à ajuda financeira do pai, a família do personagem principal está longe de ser classe média baixa. Do início ao fim, está claro que têm dinheiro. O pai acaba pagando a viagem e presentes como se fosse para uma namorada... e isso, acredite, acontece.
    Para voltar à descrição da relação entre os dois, termino aqui lembrando que na literatura não há um grande purismo quanto ao sexo não. Muitos são os livros em que lemos páginas e páginas de sexo intenso, paixão incontrolável ou o que for. Não vejo porque quando entre dois rapazes, ou entre dois rapazes e uma menina, isso se transforma em um "sonho adolescente gay".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Brasil um país retrógrado em 2013? O Brasil do carnaval e da maior parada gay do mundo? Já visitou o Irã? O Oriente Médio?

      Excluir
  6. Querido "Anônimo", espero que leia esta resposta: o livro foi escrito por um cara com uma mentalidade punheteira adolescente. Sem mais.

    ResponderExcluir

Olá, seu comentário é muito importante para nós.

Nenhum comentário aqui publicado sofre qualquer tipo de edição e/ou manipulação, porém o autor do blog se reserva o direito de excluir todo e qualquer comentário que apresente temática ofensiva, palavras de baixo calão, e qualquer tipo de preconceito e/ou discriminação racial, estando assim em desconformidade com nossa Política de Privacidade.

Oscar