15 de maio de 2012

Blogagem Coletiva Amor aos Pedaços: Esperança

Hoje acontece a terceira fase da Blogagem Coletiva Amor aos Pedaços, promovida pelos quatro “erres”, Rute, Rosélia, Regina e Luma Rosa – mais detalhes aqui na, chamada para a blogagem. Nas fases anteriores já falamos sobre o Encantamento e o Desencanto. Agora, é a vez da Esperança.

 

 

Ao abrirmos um livro que nunca lemos, temos a esperança de que, de alguma forma, ele nos supra com o que não temos, ou complemente o que nos falta, seja com uma experiência marcante que sirva de exemplo, com uma frase inteligente que nos faça sorrir, ou apenas pela emoção de testemunhar o desenrolar dos fatos. Não acredito que alguém leia apenas por ler, e, se tal pessoa existe, ela está fazendo isso errado.

Para mim existe tanta esperança ao abrir um novo livro quanto ao levantar da cama de manhã e colocar os dois pés no chão, sendo rebelde o bastante para não ceder à tentação de colocar primeiro o direito, mas sem ser, no entanto, sacrílego ao ponto de por o esquerdo. Claro que não é o mesmo tipo de esperança, mas o sentimento é o mesmo.

Todos temos esperanças quando um novo dia chega, e que, de uma forma ou de outra, potencialize tudo o que de bom aconteceu no anterior ou que, como infelizmente é mais comum, apague tudo o que de ruim se passou. Seria insuportável conviver apenas com o conformismo. As coisas sempre podem piorar, mas me conforta acreditar que também pode ser melhor.

Mas também não acredito que a esperança tenha de ser uma dose de morfina, nos anestesiando com promessas que sabemos não se cumprirão – se tenho esperança em alcançar, por exemplo, segurança financeira, não adianta nada eu me imaginar cirurgião plástico ganhando alguns milhares de reais por implante de silicone colocado se morro de medo de sangue e agulhas e bisturis e cheiro de álcool e jamais cogitei a medicina como profissão. Apesar de impalpável, a  esperança tem de ser realista.

E não se trata tão somente de bens materiais. Eu acordo todos os dias com a esperança de um sorriso, de um dia agradável, que o contribuinte apareça com o dinheiro trocado por que eu bem sei como as moedas estão em extinção, e que eu seja uma pessoa melhor mas não perfeita, por que há beleza – e beleza maior – na imperfeição.

No final, acredito que esperamos mais do que trabalhamos para que ela se concretize. Mas talvez eu esteja confundindo isso com sonho. Tenho muitos sonhos, e espero que eles se realizem. Sonhos. Esperança. Realidade. E um bom livro para ler.

 

Para ver a lista dos participantes, visite o Luz de Luma.

26 comentários:

  1. Eu acredito que todos os dias que acordamos, temos a oportunidade de ter esperança de que algo bom está pra acontecer.
    Também participo desta blogagem coletiva.
    Big Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luli, cada nova manhã é repleta de esperança ;)

      Excluir
  2. Olá, Luciano
    "O que me importa o tempo e o espaço,
    Se trilhei caminhos orvalhados
    Em busca do calor do teu abraço?"
    (Auxiliadora)

    Hoje vou ficar com a esperança de um novo dia que nasce... Perfeito!!! Novas oportunidades que nos surgem...


    Concedei-lhe, ó Deus, prodigamente, o ORVALHO DO CÉU...
    Até o próximo mês, se Deus quiser!!!
    Abraços esperançosos de paz

    "Jamais desista de ser feliz, pois a vida é um espetáculo
    imperdível, ainda que se apresentem dezenas
    de fatores a demonstrarem o contrário."
    Fernando Pessoa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. São a essas novas oportunidades, a esperança que elas trazem, que sempre me apego a cada dia. É bom que seja assim.

      Abraços.

      Excluir
  3. Bons livros para ler, sonhos e esperança são uma boa combinação! Mas também há que ir à luta, pela concretização dos sonhos. Dos realistas, está claro! E mesmo que alguns não se realizem, sempre é melhor tentar do que ficar toda a vida a chorar não o ter feito... :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Teté, exato: não basta ter esperança, tem-se que colocar mãos à obra para fazer com que ela se realize. Só esperar não adianta nada.

      Excluir
  4. Oi Luciano,li agora e lembrei que a esperança realmente nos acompanha ao ler um livro,primeiro é o título que nos chama atenção,depois a história,o destino dos personagens,principalmente quando nos apegamos a eles(o que acontece quase sempre) e ficamos apreensivos,surpresos,torcemos por uma reviravolta quando a história não está boa e por fim para que dê tudo certo com aquele personagem que já se tornou parte de nós.
    Dias de alegria pra vc,abraço!=)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Suu, é o que penso também. Apesar de diferentes, também há esperança quando abrimos um certo livro pela primeira vez.

      Abraços.

      Excluir
  5. E como ficamos esperançosos folheando um livro.
    adorei sua participação
    bjs

    ResponderExcluir
  6. A amiga Luma do luz, pediu e participei, com um singelo post, porém com muito carinho.bj

    ResponderExcluir
  7. Oi!
    Muito legal!

    :D

    beijos

    Selene Blanchard
    Blanc – ModaeEu.blogspot.com – TEM PROMOÇÃO COM BlackBerry,e outras duas especiais.
    Espero sua visita!

    ResponderExcluir
  8. Luciano
    Vejo a vida como uma eterno sonhar e só tem sentido onde há amor, esperança e muita fé. E é nos livros que realizamos muito de nossos sonhos.

    Amei o final e disse tudo meu amigo.
    "Tenho muitos sonhos, e espero que eles se realizem. Sonhos. Esperança. Realidade. E um bom livro para ler."

    Beijos e até a proxima

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Irene, sem sonhos e esperanças a vida seria insuportável né. Fico feliz que tenha gostado.

      Excluir
  9. Oi Luciano,
    você está melhorando de postagem para postagem. Aliás! estamos todos, ganhando confiança e à vontade, relaxando e nos deixando levar pela onda de amor.

    Todos os caminhos da esperança nos levam a bom porto quando "Apesar de impalpável, ela se mantém realista". Adorei a forma de se expressar. "Bom livro" esse com que você está participando ;)

    Continuemos surfando a mesma onda, meu amigo!
    Uma blogosfera unida chega mais longe, desevenda mais rápido o que está oculto.
    Beijo além-mar.
    Rute

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rute, muito obrigado, e fico feliz. Tem sido muito bom participar, nos vemos no próximo mês :)

      Grande beijo ;)

      Excluir
  10. A vida nua e crua não é lá muito agradável se nos enchemos de obrigações. Talvez por isso enfeitamos nossa casa, viajamos e nos distraímos com a vida alheia, seja essa vida alheia a convivência com amigos, parentes ou assistindo filmes, lendo livros... precisamos de alguma coisa além de nós para nos inspirarmos e a vida se tornar mais leve. Podemos ler praticamente em qualquer lugar e pensar em um final feliz, é ter a esperança de que teremos bons momentos, pois quando lemos vivemos a vida dos personagens. Beijus,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luma, é verdade, lendo vivemos um pouco a vida do outro, talvez mesmo para escapar um pouquinho da nossa. E assim vamos levando, aos poucos, com esperança.

      Beijos.

      Excluir
  11. Olá, Luciano!

    Eu tenho este mesmo pensamento: quando inicio a leitura de um novo livro, sempre espero que ele me supra naquilo que não tenho, ou que me complete naquilo que me falta...
    Adorei sua abordagem sobre a esperança, especialmente quando fala que até mesmo ela, precisa ser realista, concordo.

    Ótima participação.
    Grande abraço
    Socorro Melo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Socorro, tem de ser assim né, apesar de termos esperança e sermos confiantes nela, temos quenos movimentar para que ela se torne realidade.

      Grande abraço ;)

      Excluir
  12. Luciano,

    Não se render ao conformismo é uma excelente visão para falar sobre esperança, gostei muito. Gosto de abordagens objetivas, já que eu costumo escrever dando imensas voltas para concluir qualquer coisa. É chato. Gosto de colocações certeiras, parabéns.

    Ler é viver muitas vidas, viver/sentir sentimentos nobres e também outros nem tanto. Porque os personagens são muitos e demasiado variáveis. Ler é transportar-se para o subconsciente de cada um deles. Não há qualquer professor capaz de ensinar a um não leitor o que é literatura. Não se ensina. O prazer da leitura é aprendido e, aos poucos, compreendido. Quase como um autoconhecimento. Que bom que você é um bom leitor, nota-se. Que tenhamos mais e mais bons leitores para constituir literariamente nosso país.

    Um abraço,

    Michelle

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Michelle, não se pode se entregar, ou então tudo fica ainda pior - e nada, nunca, mudaria. Gostei do que disse sobre a literatura: "Não há qualquer professor capaz de ensinar a um não leitor o que é literatura. Não se ensina." concordo plenamente.

      Abraços.

      Excluir
  13. Olá Luciano,

    É dificil nos imaginar sem esperança - ainda que seja uma esperança meio duvidosa. Caso contrario, o mundo ficaria muito escuro. Ver só o que é real tornaria a vida mais tragica (eu acho). Esperança tem muito de sonho mesmo, de esperar que o melhor ainda esteja por vir. mas como vc bem disse:
    'Apesar de impalpável, a esperança tem de ser realista.
    Esperar, mas fazer algho para que isso aconteça. Assim estou vivendo na minha luta para melhora da saude. Tenho Esperança, sinto o conforto nas palavras e presença divina em minha vida, mas nao deixo de ir aos medicos, de melhorar minha alimentação, de fazer exercicios fisicos - ações que farão com que o que hoje é algo 'esperado' se torne realidade mais rapido.
    Beijo e obrigada por sua presença e seu comentario no Lichia Doce.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lu, é bem isso mesmo: sem esperança as coisas ficariam difíceis de suportar, mas não basta esperar somente, temos que correr atrás, buscar meios de que nossas esperanças se realizem.

      Grande beijo, e tudo de bom pra vc ;)

      Excluir
  14. Luciano,

    Ficou ótimo esse texto. =)
    Tão introspectivo. rs Fiquei até com vontade de te conhecer pessoalmente, você parece ser um cara muito legal.
    Tenho muita esperança quando começo um novo livro, espero que seja bom, que acrescente algo, ou que pelo menos seja divertido. E é difícil me frustar, pelo menos com os livros.
    Mais uma vez, ótimo texto.

    =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Joelma, espero as mesmas coisas quando começo uma leitura, e quase sempre me dou muito bem :) Ah, eu não sou má pessoa não, rsrs.

      Abraços.

      Excluir

Olá, seu comentário é muito importante para nós.

Nenhum comentário aqui publicado sofre qualquer tipo de edição e/ou manipulação, porém o autor do blog se reserva o direito de excluir todo e qualquer comentário que apresente temática ofensiva, palavras de baixo calão, e qualquer tipo de preconceito e/ou discriminação racial, estando assim em desconformidade com nossa Política de Privacidade.

Oscar