12 de maio de 2012

Presentes da Vida [Resenha #050]

image

 

Sinopse: Darcy Rhone sempre teve todos os homens aos seus pés. Tinha um emprego glamouroso, um seleto círculo de amizades e um noivo perfeito, Dexter Thaler. No entanto, tudo mudou quando Darcy se envolveu com o melhor amigo de seu noivo... Seu noivado acabou e perdeu sua melhor amiga, Rachel. Incapaz de assumir responsabilidades e de enfrentar todo esse mal-estar, Darcy foge para Londres, para a casa de um amigo de infância, imaginando que poderia passar uma borracha em tudo isso. Mas, para seu desânimo, Londres se torna um mundo estranho, onde seus truques de sedução não mais funcionam e onde sua sorte parece ter se evaporado. Sem amigos nem família, Darcy precisa dar novo rumo à sua vida e, assim, começa uma linda trajetória rumo ao crescimento e ao amor.

 

A primeira coisa a se dizer sobre Darcy Rhorne, a protagonista de Presentes da Vida, é que ela é desprezível. Há muito tempo não considerava – pelo que me lembre – um personagem desprezível, o último foi Godwyn, de Mundo Sem Fim, mas isto porque eu torcia por ele e depois ele mostrou ser uma pessoa bastante diferente. Darcy não, ela já começa ruim – ou melhor, desprezível – e a ideia da autora é fazê-la sofrer para que você se apiede dela; ao mesmo tempo que a própria Darcy percebe lentamente todas as burradas que fez em sua vida, que fez com que chegasse ao fundo do poço, e que precisa mudar.

Eu sempre quis ler algo da autora Emily Giffin, pois sempre lia boas resenhas de livros seus, em especial do “Questões do Coração”. É por isso que se deve ter cuidado com hypes. Você se apega a eles e, quando vai ver, não era aquilo tudo. A fórmula utilizada pela autora em “Presentes da Vida”, e que mencionei rapidamente no primeiro parágrafo, não funcionou muito bem comigo. Darcy vive num mundo que não me encanta, onde tudo é repleto de glamour, brilhantes, status, risos falsos e sapatos que custam mais que um salário mínimo. A autora fez uso de uma estratégia arriscada: tornar o vilão um mocinho. Muitas pessoas podem não ter paciência para acompanhar a mudança, e, se terminei o livro, foi por que tenho um bom coração prometi a mim mesmo que não abandonaria mais uma leitura pela metade. Me agradaria muito mais se o mocinho se tornasse um vilão, como o já citado Godwyn, ou até mesmo Anakin Skywalker. Amo o modo como os odeio, já uma vilã que vira mocinha não mexe tanto comigo.

Para quem curte o gênero, ou conhece e gostou de obras anteriores da autora, o livro deve ser bem melhor. Giffin é uma narradora competente, mesmo em primeira pessoa – que não é minha pessoa do discurso favorita – sabe contar os fatos de forma clara, e usa de retrocessos na narrativa sem que o andamento do livro como um todo seja prejudicado. E é coerente. Apesar de ir mudando para se tornar uma pessoa melhor, Darcy ainda dá alguns escorregões no decorrer da narrativa, o que prova que nem mesmo em livros do gênero as mudanças acontecem sem alguma resistência dos antigos hábitos. No fim, eu devo ser o tipo de leitor errado para este livro. E só.

Isto me faz pensar que foi azar meu conhecer a autora através do “Presentes”. Talvez tivesse me saído melhor com um outro título seu. Pode acontecer. Há alguns anos atrás, fui apresentado a Somerset Maughan através do livro “Servidão Humana”, que não me caiu muito bem, mas pouco depois li e gostei muito de “Fio da Navalha”, do mesmo autor, livro que pretendo reler um dia. Quem sabe o mesmo acontece com Giffin.

 

Presentes da Vida (Something Blue, 2005Tradução de Patrícia Dias Rei Frisene) Emily Giffin – 383 páginas, ISBN 9788563219947, Editora Novo Conceito. [Compre no Submarino]

{ C }

 Editora Novo Conceito

31 comentários:

  1. Emily Giffin?!?!? Nunca vi mais gorda rsrsrsr... Tem personagens com os quais temos química, tem uns personagens com os quais não temos química. Eu por exemplo tenho um enorme problema com O morro dos ventos uivantes, já li três vezes e adoro odiar esse livro. O mesmo acontece com O código Da Vinci e tenho uma professora que acha a Metamorfose um livro horrível de tão mal escrito rsrs... Acontece, faz parte do processo de ser leitor amar péssimos livros e antipatizar com bons livros.

    #Curti

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pandora, exatamente. Não me dei bem com esse, aé tentei, mas não era pra mim.

      Excluir
  2. Lembrei de uma coisa sobre esse livro, pensei que não conhecia Amily Giffin, mas fiquei com aquela sensação de "já te vi em algum lugar não sei onde"

    Rá, mas do nada lembrei dela, esse livro deve ser a continuação do "O noivo de minha melhor amiga"... Realmente Darcy não é a personagem mais carismática que já conheci na vida, mas confesso que depois de lembrar de onde a vi fiquei curiosa para ver o fim da história, eu adoro continuações!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exato, esqueci de comentar na resenha: parece que este livro é uma continuação do filme mesmo; mas dá para ler tranquilo sem ter visto o filmes, apesar de achar que, tendo visto o filme, a simpatia por Darcy pode ser maior - ou não ;)

      Excluir
  3. Emily Giffin é uma fooooooofa!
    :D
    Não sou fá desse livro me enamorei demais primeiro e fiquei com nojo da Darcy, hihi
    beijo

    ResponderExcluir
  4. Luciano
    A Darcy é mais que desprezível. É o reflexo de uma filhinha de papai, a bonequinha linda achou que beleza põe mesa. Um ditado perfeito para a irritante, intolerável Darcy.
    Tudo tem seu tempo e vai aprender com seus própios erros.
    Como faço a coleção dos livros da Emily Giffy não vou me desfazer, pois apesar de tudo ela é boa demais no faz.

    Já estou emprestando o livro e agora é tentar ganhar para ter um de reserva.

    Adoro suas resenhas pela forma como coloca o que achou e comarando com outros livros e assim vou anotando e aumentando minha lista de leitura.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Irene, a Darcy é tudo isso que você disse mesmo, não consegui simpatizar com ela de jeito nenhum ;)

      Beijos.

      Excluir
  5. Apesar das opiniões divididas que venho encontrando nas resenhas, ainda sim, tenho muita vontade de ler esse livro!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leonice, e deve ler. Tudo é uma questão de gosto: aquilo que não me agrada pode te agradar, e vice-versa ;)

      Abraços.

      Excluir
  6. HUmm,leio o livro ou não?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leia, assim pode dizer por si mesmo se é ou não bom. ;)

      Excluir
  7. Oie :)
    Ainda não li nenhum livro dessa autora, tenho aqui "O noivo da minha melhor amiga"
    Ainda não li só vi o filme.
    Quero ler esse aí também, e gostei da tua resenha, pois falaste o que achou e sou desta que se não gosto de um livro, falo, mesmo sendo contra a vários comentários. Rsrs
    Cada um tem sua própria química com um livro.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Maria, você disse tudo: cada um tem sua própria química com um livro. E ponto.

      Excluir
  8. Esse é um dos livros que eu mais quero ler. Primeiro pra saber como ficou a continuação de O noivo da minha melhor amiga, e segundo porque eu adoro o estilo de narrativa da autora, ela é ótima.
    Essa capa é meio sem graça, mas tudo bem! XD

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Brenda, se gostou do anterior tem que ler este ;)

      Abraços.

      Excluir
  9. Só eu acho Darcy um nome completamente masculino??? Acho que foi depois de ler Orgulho e Preconceito que fiquei com essa impressão.
    Pelo que eu sei são três livros dessa série, todos começam com Something em inglês... Digo e repito, tenho medo dessas capas bonitas... Eu assisti ao filme e odiei Darcy, mas a amgiga dela, a mocinha, também era um saco, e o cara que elas disputavam, esse era o pior!

    =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Joelma, também acho um nome masculino, e sempre leio "Darcí", rs. Olha, não gostei das personagens, não me identifiquei, achei tudo muito suérficial. Mas, é claro, isso foi comigo, outra pessoa pode muitob em amar este livro ;)

      Abraços.

      Excluir
  10. Tirando o fato de você descrever a protagonista como desprezível a história parece bem interessante, confesso que os livros da Emily não me atrai tanto quanto deveriam, mas leria por ter uma ideia bem elaborada.

    http://enfimshakespeare.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. O anterior foi maravilhoso e esse te tudo para ser tb.

    ResponderExcluir
  12. Deve ser bom, pelo menos para leitoras como eu que são fãs de livros com conteúdo sentimental e melhorias do ser. Vou ler =D

    ResponderExcluir
  13. Ainda nã li nada da Emily, mas estou ansioso pra ler, pois sempre leio resenhas de seus livros, e a maioria gostam bastante de suas obras. Realmente existem livros que por mais bem escritos, não se encaixam no seu perfil. Gostei da sua resenha.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
  14. gostei da resenha e me encorajou a ler, + um pra minha lista de leitura!!!

    ResponderExcluir
  15. Bem, o conteúdo não pareceu muito promissor, mas quero ler. E concordando com a Joelma. Logo que li Darcy lembreime de Mr. Darcy de Orgulho e preconceito rsrsrsr

    ResponderExcluir
  16. *-* Ótima resenha, mas eu ainda não li :( Pra falar a verdade não é bem minha praia xD Mas assim que minha lista diminuir vou ler \o/


    http://deliriosdork.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Olá, seu comentário é muito importante para nós.

Nenhum comentário aqui publicado sofre qualquer tipo de edição e/ou manipulação, porém o autor do blog se reserva o direito de excluir todo e qualquer comentário que apresente temática ofensiva, palavras de baixo calão, e qualquer tipo de preconceito e/ou discriminação racial, estando assim em desconformidade com nossa Política de Privacidade.

Oscar