10 de fevereiro de 2014

Eco – The Soul Seekers – Livro 02, de Alyson Nöel [Resenha #159]

Eco - Texto


Sinopse: Daire Santos acabou de salvar a vida de sua avó — e sua alma. Mas há um custo. Os Richters, uma família sombria de feiticeiros, estão a solta em Lowerworld, e Daire e seu namorado, Dace, devem voltar a trabalhar juntos para encontrá-los antes que ele perturbem o equilíbrio entre o bem e o mal, e destrua não só a pequena cidade no Novo México, mas também o mundo inteiro. E enquanto o relacionamento entre Daire e Dace se aprofunda, o maligno irmão de Dace, Cade, cresce mais forte do que nunca, aumentando seu poder e forçando Daire a enfrentar a terrível profecia que juntou-os. Uma profecia que não deixará a Daire outra escolha se não a de reivindicar seu verdadeiro destino como Seeker, mas somente se ela fizer um sacrifício maior para o bem de todos.


Sonhos foi minha primeira experiência lendo Alyson Nöel, e gostei bastante: ela nos entregava uma protagonista simpática, Daire, uma adolescente pertencente a uma linhagem muito antiga de Soul Seekers, os buscadores, pessoas com um dom especial de se conectar com a natureza e, assim, poder manter seu equilíbrio; uma mitologia predominantemente latina, uma paisagem árida e um clima de desolação que casou com a temática do livro: xamãs, espíritos guias, mundos paralelos, e, claro, um mal em particular para ser derrotado.

O que me chamou a atenção também foi o fato de que, como deixado claro por Paloma, uma respeitada anciã da cidade de “Encantamento” e, não por acaso, avó de Daire e responsável por lhe ensinar tudo o que sabe, o mal não poderia ser derrotado utilizando-se de suas armas: se o  agente do mal fere, o do bem tem de tomar um caminho diferente, ou serão equivalentes. Faz sentido, mas torna tudo muito, mas muito difícil.

Só um aviso: essa resenha não contém spoilers, mas alguém criativo o suficiente pode ir tirando algumas conclusões com aquilo que vai ler....

Em “Eco”, que aguardei com certa ansiedade, reencontramos Daire treinando suas habilidades e se aventurando pelo Mundo Inferior a fim de anular as desordens que uma escolha feita por ela trouxe ao lugar – e como nos é dito, os mundos, inferior, mediano e superior, são interligados, assim, se um é corrompido, os outros não demoram a demonstrar sinal disso também.

Outro ponto interessante no livro é que foi melhor trabalhada as diferenças entre a figura do gêmeo bom e gêmeo mal: Dace é bom, gentil, verdadeiro, e o meloso namorado de Daire; enquanto Cade é mal, vingativo, mentiroso e todos os outros adjetivos nada elogiosos que puderem encontrar. Aqui ficamos sabendo mais detalhes sobre o nascimento dos irmãos, e o quanto de predestinação entre um ser bom e o outro ser mau existe, apesar de que, intimamente, ainda tenha lá minhas desconfianças e acredito que Dace pode ouvir o chamado de Darth Vader muito em breve.....

E, claro, há também algo que me trás um bem vindo incômodo em livros do tipo: enquanto o mal pode usar de armas bastante efetivas em uma guerra tradicional – morte, fogo, destruição – o bem tem que ser.....benevolente! Eu não entendo como isso pode vencer uma guerra, até entendo a beleza da analogia entre uma rosa e um rifle, mas não funciona!, e, para minha surpresa e deleite, os anciãos, após muito relutarem, também decidem que, frente ao que os espera – um inimigo jamais visto, ardiloso, sagaz, e sem nenhum remorso – também têm de mudar de estratégia. Bingo! Ponto pra dona Alyson.

E, falando nela, a narrativa continua muito bem estruturada, rápida ao mesmo tempo em que não deixa o leitor de fora dos acontecimentos. Em uma palavra: experiência. Além de trazer aspectos bastante interessantes, como o fato de os irmãos estarem mais ligados do que imaginam e que o amor entre Daire e Dace fortalece Cade – vai entender, e o que fazer em um caso como esse, já que ninguém pode, simplesmente, deixar de amar – além das sessões de treinamento entre Daire e sua avó, Paloma, que estão ainda mais interessantes e enriquecem o livro ao falar dos elementos e da forma como podem ser utilizados.

O livro tem personagens interessantes, como a sempre amiga Xotichl, uma garota cega com uma sensibilidade única, e que eu fico temendo que, em algum momento da narrativa se mostre na verdade alguém ruim, porque daí vai ser demais pra mim; e a gente se apega a eles de uma forma muito bem vinda para a vida útil da série.

Falar sobre segundo volume de série é complicado, então é melhor parar antes de entregar algo ainda mais importante para a narrativa. No geral eu continuo gostando, continuo animado, o final nos deixa preso em um grande suspiro. Que venha o próximo volume.

 

 


+ da série: Sonhos – The Soul Seekers – Livro 01

 

Eco - The Soul Seekers – Livro 02, de Alyson Noel (Echo, 2013Tradução de Marcia Blasques, 2012) 288 páginas, ISBN 9788580448740 Editora LeYa. [Comprar no Submarino]

{A-}

Adiamento, protelação, indisciplina 2

5 comentários:

  1. Por um tempo, eu sismei que eu tinha que ler Sonhos. Eu quase comprei o livro diversas vezes e cheguei a pensar em comprar o e-book, mas de repente, a vontade se foi. Não sei explicar, mas neste exato momento, minha vontade de ler a série é zero, mas já que um dia eu quis tanto, quem sabe essa vontade não volta, né? =/

    ResponderExcluir
  2. Essa série ganhou minha cobiça por trabalhar justamente em cima de uma mitologia com tons latinos. Adoro mitologias e adoro muito mais quando o autor sai do caminho mais obvio, mas fácil. No mais um A seu - pessoa chata do meu coração - é sempre um A mesmo com um menos perto, então se cair na area é lido lindamente... aliás ele periga ser trazido para minha pilha enorme de livros tão logo a série encontre seu desfecho final, porque reatei minha amizade com séries, mas confesso que as por concluir ou já concluídas me ganham mais facilmente.

    ResponderExcluir
  3. Tenho muita vontade de ler Sonhos, única série da autora que eu leria realmente, já que a saga Imortais, segundo alguns, é chatinha pra caramba, então opto por essa que traz alguns elementos originais, principalmente a mitologia e esse mistério toda - além de capas bonitas. Ótima resenha, e entendo como é difícil falar de uma continuação sem soltar um spoiler, kk.

    Abraços,
    - pensamentosdojoshua.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Luciano, sempre tenho impressão de que, seu eu tivesse lido Alyson Nöel há uns dez anos atrás, eu simplesmente me apaixonaria; mas não sei se ela me renderia boas leituras hoje. Fantasia adolescente era o que eu costumava escrever na época (pateticamente, aliás rs).

    Quem sabe tente um dia?

    Abraço! :)

    ResponderExcluir
  5. Por favor alguém tem esse livro em pdf? Eu estou quase entrando em depressão por não ter o resto da série em pdf...Por favor me ajudem!!!

    ResponderExcluir

Olá, seu comentário é muito importante para nós.

Nenhum comentário aqui publicado sofre qualquer tipo de edição e/ou manipulação, porém o autor do blog se reserva o direito de excluir todo e qualquer comentário que apresente temática ofensiva, palavras de baixo calão, e qualquer tipo de preconceito e/ou discriminação racial, estando assim em desconformidade com nossa Política de Privacidade.

Oscar