20 de outubro de 2014

Shunkaden – A Nova Lenda de Chun Hyang, de Clamp [Resenha #192]

Shunkaden - Texto


Sinopse: Há muito tempo... Havia uma garota muito bonita chamada Chun Hyang. Ela se apaixonou pela primeira vez por um yangban (nobre) chamado Mong Ryong, superando a diferença social e tendo seu amor correspondido. Mesmo ficando separados, mesmo que outros se declarassem a ela e ela fosse presa por rejeitá-los, Chun Hyang continuava a amar somente Mong Ryong... Essa é uma antiga história de amor contada na Coréia. Chun Hyang é considerada uma mulher fiel e ainda hoje, é admirada pelas pessoas. Porém... Esta Chun Hyang é "um pouco" diferente.


CLAMP é referência em mangás. O grupo, formado em 1987 conta atualmente com quatro integrantes e já foi responsável por grandes títulos, como por exemplo “As Guerreiras Mágicas de Rayearth” e “Sakura CardCaptors”. Shunkaden é um título curto do grupo, com os quatro capítulos originalmente publicados na revista Series Mystery – Special e compilados em um único volume.

O mangá se passa em Koryo, um país dividido em cerca de trezentos vilarejos com cada um deles sendo governado por uma pessoa indicada pelo poder central, o “yangban”, que tem plenos poderes sob seus governados, mas que deveria, em tese, lutar pelo desenvolvimento de seu povo enquanto dure seu mandato de dez anos. Mas com tantos vilarejos, é claro que existem os desvios, e yangbans que exploram seus povos. Para coibí-los, foi criada a figura do “amhaeng eosa”, uma pessoa que tem de manter sua atividade em segredo e partir em busca de investigar e punir aqueles que atentam contra as leis do país, tendo eles autoridade até mesmo sobre os yangbans.

Shunkaden

No vilarejo de Ryonfi vive Chun Hyang, uma moça de quatorze nos que não tolera os abusos do yangban e de seu filho, que exigem o pagamento de impostos em um valor muito superior ao determinado pela capital, e se sentem no direito de até mesmos e apropriarem das mulheres mais bonitas do local.

Chun Hyang é aquela menina forte típica dos mangás. Apesar de ter apenas quatroze anos, ela tem um forte treinamento em artes marciais desenvolvido especialmente para proteger aqueles mais perseguidos pelo yangban, mas ela não é uma vigilante: todos sabem quem é ela, e que é filha de Myeong Hwa, a mais poderosa shaman de toda Koryo, mas não fazem ideia de quem é seu pai, segredo que sua mãe guarda consigo.

A ação da narrativa acontece mesmo quando surge na casa da mãe de Chun Hyang um sujeito misterioso, Mong Ryong, que se recusa a dizer o que faz, dizendo apenas que é um viajante. Fica logo claro que ele será um ponto de conflito com “Chun Hyang”, pois ela mal acredita com o quanto sua mãe é receptiva com um qualquer que acabara de chegar. Claro que tudo isso é levado em tom de humor, mas ele logo se mostra um importante aliado na luta contra o yangban.

Shunkaden

O mangá é baseado em um conto tradicional de amor Coreano, mas as autoras decidiram contar uma história um pouco diferente, com direito à magia e figuras mitológicas, o que deu espaço para que trabalhassem elementos que parecem antagônicos, mas que são amplamente utilizados em mangás: humor, romance e drama.

O humor do mangá é representado pela interação entre Chun Hyang e Mong Ryong e funciona muito bem. Há também certa carga de romance, mas tirei algumas conclusões com a leitura que me dizem que não seria possível, mas há drama, e as meninas sabem muito bem como atingir o ápice no momento certo.

Shunkaden

O que me incomodou foi o final aberto do mangá. Durante a narrativa, Mong Ryong diz que vi apresentar a Chun Hyang uma pessoa, e faz um mistério danado sobre isso. Somado ao fato de que o mangá funciona muito bem com os dois visitando os vilarejos, é uma pena que os acompanhemos em apenas dois. Fica parecendo que falta algo, e o leitor é pego bastante desprevenido. Não fosse isso, seria perfeito.

 

Shunkaden, de CLAMP (新・春香伝 Shin Shunkaden, 1996Tradução de Karen Kazumi Hayashida, 2013) – 224 páginas, ISBN 9788560647927, NewPop Editora

{B+}

***As imagens foram retiradas da internet e servem apenas para ilustrar o post

banner

Minha leitura de “Shunkaden” fez parte da Maratona #Cacilda-A-Thon

9 comentários:

  1. Esse mangá é volume único? Porque eu AMO Sakura CardCaptors, é tipo, uma das minhas maiores paixões na vida, mas eu não tenho o mínimo saco de acompanhar séries de mangás. Aliás, comprei os meus da Sakura de um vez no Enjoei, cheguei a cogitar começar a colecionar Tsubasa, mas ah... muita preguiça hahahaha. Vou procurar esse título porque sempre quis me aprofundar mais nas obras do Clamp <3

    Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Siim! É volume único - o que é uma pena, a história é muito boa, imaginava ela rendendo ainda muitos bons capítulos!

      Eu tenho que correr atrás de Sakura, relançaram ela por aqui e eu deixei passar :(

      Excluir
  2. Correndo para procurar e comprar em 3, 2, 1... Tu sabe como sou APAIXONADA pelas meninas da CLAMP néh?!?! Tudo o que posso ter delas na minha estante procuro ter porque felicidade é um cobertor quentinho e um livro para ler :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A NewPop tem meu respeito por trazer os títulos das meninas que são mais "obscuros", tem muita coisa boa já lançada ;)

      Excluir
  3. Ai que lindo!!!

    Estou aprendendo a gostar disso, devagar... mas eu chego lá.

    Adorei a proposta desse. Fora que achei os traços maravilhosos!!

    Arrebentou mais uma vez ♥

    Bjks

    Lelê - http://topensandoemler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lelê, tudo é questão de adaptação ;) O título é muito bom, vale a pena começar por ele.

      Excluir
  4. Oi Luciano!
    Eu adoro os mangás do CLAMP! Era apaixonada por Rayearth e Sakura.
    Não conhecia esse mangá, mas o fato de ser do CLAMP e ser volume único me interessaram. Vou procurar!

    Beijos,
    Sora - Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir

Olá, seu comentário é muito importante para nós.

Nenhum comentário aqui publicado sofre qualquer tipo de edição e/ou manipulação, porém o autor do blog se reserva o direito de excluir todo e qualquer comentário que apresente temática ofensiva, palavras de baixo calão, e qualquer tipo de preconceito e/ou discriminação racial, estando assim em desconformidade com nossa Política de Privacidade.

Oscar