27 de abril de 2015

Morning Glories Vol. 01: Por Um Futuro Melhor, de Nick Spencer, Joei Esma e Rodin Esquejo [Resenha #215]

Morning Glories


Sinopse: Eles são complicados, rebeldes e extraordinariamente brilhantes! Graças ao talento nato, Casey, Ike, Jun, Hunter, Zoe e Jade foram admitidos em uma das instituições preparatórias mais consagradas dos Estados Unidos. Mas, ao atravessar os portões do instituto, eles descobrem que algo muito sinistro e maligno está a espreita nos corredores e salas de aula. Presos e desesperados por respostas, os jovens terão que enfrentar os mistérios de um lugar onde nada é o que parece. Apoiado pelos desenhos de Joe Eisma e capas maravilhosas de Rodin Esquejo, a estrela em ascensão dos quadrinhos norte-americanos Nick Spencer (Iron Man 2.0,Vingadores Secretos) assina esta saga de atmosfera orweliana que mistura ficção e drama adolescente e o manterá grudado as páginas!


A Image Comics é uma editora de quadrinhos diferente. Formada por sete artistas, incluindo Todd McFarlane, eles queriam ter, nela, a liberdade criativa que não tinham ao trabalharem em grandes editoras e em personagens consagrados como Batman, Homem-Aranha e o Superman, não terem tantas arestas a aparar com executivos e agentes que só pensavam em cofres cheios, e, talvez a razão mais forte para sua fundação: que os artistas fossem os donos dos direitos dos personagens, não as editoras. Com o sucesso estrondoso de Spawn, ela se tornou modinha, tudo o que colocava em banca era vendido, tanto que tomou o segundo lugar histórico no ranking das editoras da DC, mas as coisas acabaram degringolando, e, no final, viram que precisavam mesmo de um executivo pra gerenciar tudo, e foi comprada pela Top Cow.

Mas aquela vontade de produzir conteúdo único permaneceu, e verdadeiras obras de arte surgiram de lá, como Spawn, Witchblade, Saga e o estrondoso sucesso The Walking Dead. Para minha felicidade, a Panini anunciou, em 2012, que lançaria por aqui a série Morning Glories, era uma chance de acompanhar mais um título da Image.

Morning Glories

Em Morning Glories, criada por Nick Spencer e Joei Esma – com capas (feias) de Rodin Esquejo – acompanhamos seis estudantes, Casey, Zoe, Hunter, Ike, Jun e Jade, que são admitidos na super exclusiva escola Morning Glory, o que parece ser, a princípio, uma virada em suas vidas além de uma oportunidade única. Neste primeiro volume encadernado lançado pela Panini – e que compreende os números 1 a 6 da revista em fascículos – há a introdução dos personagens e de aspectos gerais da academia, ambientando o leitor à história.

Morning Glories

Aos poucos, porém, eles vão percebendo que o clima na escola não é nada amigável, agressões e torturas psicológicas são recorrentes, e a academia é um lugar repleto de fenômenos sobrenaturais, com forte presença do oculto. Os personagens até mesmo notam uma estranha coincidência entre eles, e que pode ser a razão pela qual foram selecionados para estudarem ali, e tudo ganha um ar de mistério que impregna a narrativa de forma contundente.

Fazendo um rápido parêntese: nos EUA as hq’s são publicadas em edições menores, com periodicidade mais curta, semanal ou quinzenal ou mensal. Aqui no Brasil, a Panini – e quase todas as editoras – optam por colocar no mercado os encadernados, que contém várias edições e trazem o conteúdo na íntegra, que, na teoria, servem para aproximar o tempo de publicação por aqui do original gringo; mas que, para mim, na realidade atende a um mercado que ainda é pequeno e não tem espaço para publicações semanais; e que proporciona, com espaçamento de publicação maior, que a editora sinta o mercado e possa racionalizar a demanda.

O que não é algo ruim. O que incomoda é que, muitas vezes, os encadernados – exceto os de grandes personagens – não possuem uma periodicidade bem definida, então os lapsos de publicação podem ser bem grandes. Morning Glories, por exemplo, teve apenas dois volumes publicados por aqui,que compreendem os números 1 à 14 do original, e o último encadernado foi publicado em 2013.

Morning Glories

Voltando à hq, as capas são muito feias. Sério! Basta olhar pra ver. Muitas pessoas até mesmo atribuem a paralização da publicação (não oficial, quando questionada a Panini informa apenas que não há planos no momento) a vendagens possivelmente fracas, pois quem não conhece nada sobre o título acaba não comprando-o pela capa, que remete a algo do tipo Rebeldes e etc. E o pior é que o miolo, com arte do Joei Esma, é extremamente diferente, com um traço muito mais caprichado! Não conheço o Rodin Esquejo, mas, considerando a capa desta edição, não entendo por que raios foi convocado para o trabalho!

A série tem uma narrativa empolgante, existem twists interessantes e mistérios o suficiente em torno da academia para fazer com que o leitor permaneça envolvido no clima criado pelos autores. O que resta é aguardar a boa vontade da Panini e torcer para que ela libere mais um volume em breve.

 

Morning Glories Vol.01: Por Um Futuro Melhor, de Nick Spencer (texto), Joei Esma (arte) e Rodin Esquejo (capas) (Morning Glories Vol.01: For a Better Future, 2011 Tradução de Gabriel Oliva Brum e Bernardo Santana, 2012).  194 páginas, ISBN 7897653518845  Panini Comics.

{B+}

6 comentários:

  1. Eu não achei a capa feia :(

    Não conhecia essa hq, gostei da dica.

    E achei os traços lindinhos!!!

    Bjksssss

    Lelê

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahhh, melhor assim!, eu não sou muito fã delas não, mas o miolo é bem mais interessante ;)

      Excluir
  2. Oi, Luciano!
    Essa é uma grande série e possui uma excelente estrutura. Ela já foi para as telas?
    Eu li no site HQ Online. Na edição do site a capa é outra, mas todas elas muito adolescentes. De todos, o primeiro é o melhor.
    Boa semana!
    Beijus,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luma, eu ainda torço para que a Panini siga lançando ela por aqui, mas não sei não.... Sabe que não sei se houve alguma adaptação, seria interessante ;)

      Excluir
  3. Não li Spawn ainda, mas meu namorado voltou a colecionar e elogia bastante, então o trabalho do Todd muito me interessa. Achei a ideia da editora ótima, e esse livro me interessou. Porém, concordo com o que você diz a respeito das capas, muito fracas! Eu também lembrei da novela Rebelde e acho que essa pegada prejudica bastante o marketing da obra, uma pena =/

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A capa é bastante falha no que diz respeito a apresentar a série, isso pode ter afastado algumas pessoas. Tenho muita curiosidade de ler Spawn, tive acesso a alguns exemplares quando tinha uns dez anos, se ganhasse uma nova edição por aqui certamente compraria.

      Excluir

Olá, seu comentário é muito importante para nós.

Nenhum comentário aqui publicado sofre qualquer tipo de edição e/ou manipulação, porém o autor do blog se reserva o direito de excluir todo e qualquer comentário que apresente temática ofensiva, palavras de baixo calão, e qualquer tipo de preconceito e/ou discriminação racial, estando assim em desconformidade com nossa Política de Privacidade.

Oscar