25 de maio de 2012

Solução do “Qual é o Livro? #3 & #3.1

LIVAJá se passaram mais de um mês desde que publiquei o QéoL #3, e apesar dos bons palpites recebidos ninguém matou a charada. E não estava tão difícil, pois, como verão, trata-se de uma obra de um autor clássico, mas, se os críticos consideram este livro sua obra-prima, a maioria das pessoas que leram este autor, o fizeram por seus livros mais famosos, meio que se esquecendo deste aqui.

Já li este livro duas vezes, e o citei no blog algumas vezes, dizendo que com o passar do tempo tinha absorvido seu conteúdo de forma muito mais efetiva, e madura.

Relembrando um pouco, no dia vinte de abril, quando publiquei o #3, as dicas dadas foram as seguintes: escritor, amor, desejo/vontade, realização, e realização?.

Depois, em onze de maio, no #3.1, falei um pouco mais sobre o livro, com a intenção de, ocasionalmente, um leitor que o tivesse lido o reconhecesse. Não sei se algum dos que participaram já o leu, se sim, tudo o que disse não foi suficiente para que fizessem essa ligação – e, se é esse o caso, provavelmente fui subjetivo demais.

Todo livro possui um escritor, então não faria muito sentido esta ser uma dica que se referia a quem escreveu o livro. Assim, um dos personagens dos livros é, ou se tornará, um escritor.

A segunda dica a princípio não ajuda tanto, mas se a relacionarem com as demais ela passa a ter uma importância maior. O amor está presente, de uma forma ou outra, na grande maioria dos livros, mas apenas os maiores amores são capazes de fazer com que uma centelha de vontade se acenda em nós, de tal forma que possamos buscar a realização desta vontade.

Assim, o amor motivou o personagem, que era – ou se tornaria, durante o livro – escritor, a seguir seus desejos e vontades, em busca de sua realização.

As duas últimas dicas mostram que o personagem atinge a realização, mas deixa base para interpretações. Será que valeu mesmo a pena? Após conquistar tudo o que queria, tudo o que desejava, e em nome de um amor, será que se sentiu realizado?

e pouco depois atualizei a postagem com  a seguinte informação

UPDATE – 12 Maio: Na verdade posso: a última dica, “Realização?” sugere que, se a atingiu, não valeu tanto a pena, ou não teve o sabor que esperava que tivesse. Assim, desiludido, nosso personagem escritor pode ter tido um fim trágico. Certo?

Relendo, o update não trás nada de diferente do que já havia sido dito anteriormente, com exceção do “Assim, desiludido, nosso personagem escritor pode ter tido um fim trágico. Certo?”. Aqui achei que matariam.

Os livros citados nos palpites foram:

  • A Garota de Papel, de Guillaume Musso

  • Amor em Minúscula, de Francesc Miralles

  • As Valquírias, de Paulo Coelho

  • Budapeste, de Chico Buarque

  • Cartas a um Jovem Poeta, de Rainer Maria Rilke

  • Comer, Rezar, Amar, de Elizabeth Gilbert

  • Culpa de Mãe, da Vanessa Anacleto

  • Dom Casmurro, de Machado de Assis

  • Ganhando Meu Pão, de Maksim Górki

  • Hollywood, do Charles Bukowski

  • O Diário de um Sedutor, de Kierkegaard

  • O Jogo do Anjo, do Carlos Ruiz Zafón

  • Para Sempre, de Kim e Krickitt Carpenter

  • Pergunte ao Pó, do John Fante

  • Tia Júlia e o Escrevinhador, do Vargas Llosa,

pena que não era nenhum deles.

226989_4O livro em questão era Martin Eden, de Jack London. Desta vez não vou explicar as dicas. Se o fizer, terei de entregar muito da estória, e mesmo o que já falei no #3 e #3.1 pode fazê-lo. Se posso sugerir um livro, leiam Martin Eden e vejam como London é muito mais que somente o escritor de “Caninos Brancos” e “Chamado Selvagem”.

Então é isso, este foi o primeiro “Qual é o Livro?” a não ser resolvido. Cumpriu sua missão? Não, de forma alguma. O QéoL foi pensado para ser resolvido, mas não tão depressa. Difícil, mas não indecifrável.

Mas gostei muito desta edição. Ao contrário das anteriores, onde o acertador levava um livro, nesta não tivemos prêmio, mas a ânsia em acertar o título do livro foi a mesma, senão maior! Fiquei tremendamente feliz com isso.

Espero vocês, na próxima sexta, às 9 da manhã. Vamos brincar de adivinhação?

9 comentários:

  1. Aleluia!!!! Enfim fiquei sabendo qual o livro! Menino a lista dos palpites foi grande rsrsrs... E sim, eu nunca teria acertado, nunca li Jack London... Sei lá acho que ele nunca gritou meu nome de nenhuma estante!!!

    Titulos como “Caninos Brancos” e “Chamado Selvagem” não me encantam por algum motivo! Enfim...

    Cheros Luciano!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pandora, para quem ainda não leu fica difícil. Sabe, se resolver ler London um dia, comece por Martin eden, ele é bem diferente de Caninos Brancos e O Chamado Selvagem, e mostra um autor mais sério, gosto batsante dele ;)

      Excluir
  2. Eu nunca teria acertado, e olha que eu pesquisei. Mas eu adoro esse tipo de post, mesmo que não tenha prêmio é sempre um prazer participar porque é como uma caça ao tesouro, sendo que o prêmio é a descoberta do título.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cris, muito obrigado pela dedicação, você nem imagina o quanto isto me motiva para continuar.

      Grande abraço.

      Excluir
  3. Nossa eu nunca iria acertar...rsrsr...nunca ouvi falar desse livro...mas gostei do desafio...\o/....beijokas elis

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Elis, vale a pena ler, London escreve muitob em ;)

      Excluir
  4. Eu nunca iria acertar, porque não li!

    =P

    Adoro "Caninos brancos", eu sou fã de histórias de bichos. Era de se esperar de quem tem "O livro da selva" no Top 10 de romances. Entrou pra lista. Ai ai ai, mais um com final triste, como "Um mundo brilhante". Ganhei o meu no concurso do Fósforo e fui ler o final pra ver se encaixava nessa pergunta, mas não encaixava, então nem chutei. Ainda bem. Seria só mais um errinho pra coleção...

    =P

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sharon, se gostou do Caninos acredito que gostará também do Martin eden, apesar de serem muito diferentes ;) E te espero sexta, rsrs.

      Grande abraço.

      Excluir
  5. Também não acertaria, não li. Mas a dica está anotada.

    =)

    ResponderExcluir

Olá, seu comentário é muito importante para nós.

Nenhum comentário aqui publicado sofre qualquer tipo de edição e/ou manipulação, porém o autor do blog se reserva o direito de excluir todo e qualquer comentário que apresente temática ofensiva, palavras de baixo calão, e qualquer tipo de preconceito e/ou discriminação racial, estando assim em desconformidade com nossa Política de Privacidade.

Oscar