21 de março de 2013

Esperando por Você [Resenha #115] + Promoção {UPDATE: Resultado da Promoção}

Esperando por Você

 

 

 

 

 

Sinopse: É hora de iniciar o segundo ano do Ensino Médio, e Marisa está pronta para um novo começo e para seu primeiro namorado de verdade. No entanto, depois do popular Derek convidá-la para sair, as coisas ficam complicadas. Além de seus pais se separarem e de Marisa ter uma briga com seu melhor amigo, Derek, o amor da sua vida, a deixa desapontada. As únicas coisas que mantêm Marisa são os podcasts de um DJ anônimo, o qual parece entendê-la totalmente. Mas ela não sabe quem ele é... Ou sabe?

Eu gostei de Colasanti em “Bem Mais Perto”. Ali encontrei personagens charmosos e carismáticos, situações que, por mais que se mostrassem clichés, como a mocinha apaixonada, o garoto desavisado e o amor não correspondido, foram bem trabalhadas e deram até mesmo margem a questionamentos maiores. Foi um livro bem executado, que me agradou e colocou a autora no meu mapa.

Assim, não foi sem alguma ansiedade que fiquei sabendo do lançamento deste “Esperando por Você”. Queria tê-lo em mãos, ver o que a autora me proporcionava desta vez, o que conseguiria extrair de um gênero que tem por característica estagnado de novas ideias e situações. O resultado não foi o que esperei.

Em “Esperando por Você”, conhecemos Marisa, uma garota com distúrbios de ansiedade que passou por um inferno astral no ano anterior, quando teve uma crise de depressão, e  agora, com o novo ano letivo da escola prestes a começar, luta para se enquadrar e passar longe da névoa e escuridão que teve que superar.

Mas apesar de se sentir solitária, Marisa tem pessoas que a amam por perto, como seus pais e sua melhor amiga, Sterling, que me pareceu um personagem bem mais interessante que a protagonista, como se ela sim tivesse uma verdadeira história pra contar; mas as coisas nunca são tão simples quando se fala de problemas psicológicos, e, quase nunca, quem passa por estes momentos sabe reconhecer o mundo à sua volta como ele realmente é.

Mesmo não estando mais em crise no começo do livro, Marisa é uma adolescente reclamona que se queixa de tudo sem conseguir dar o devido valor ao que tem: uma boa casa, uma vida confortável, uma família presente. Apesar de ter alguns flashes de compreensão em certos momentos, na maioria das vezes fica a impressão de que ela vê as coisas da maneira errada, e isso faz, consequentemente, com que tome ações que não são as melhores para o momento.

Sou oito anos mais velho que meu irmão caçula, então, enquanto ele tinha sua crise de identidade na adolescência eu pude acompanhar do alto dos meus vinte e três anos, e  posso dizer que não há nada pior que um moleque que descolore o cabelo, fura a orelha, toca baixo numa banda de garagem mas mesmo assim reclama de tudo. Não é muito agradável, então, acompanhar a personagem em seus momentos mais sombrios, por mais que ela queira mudar  e ser uma pessoa melhor.

O que me leva ao ponto do livro que me irritou profundamente. Eu estava gostando dele até que, na página noventa e cinco, a Colasanti se saiu com a seguinte frase, após Marisa finalmente se dar conta de quem tem sorte por possuir tudo o que tem:

Assim, não consigo entender por que eu tinha ficado tão deprimida antes. Meu psicólogo diz que estes sentimentos que invadem o corpo são inevitáveis por causa da genética e de fatores ambientais. Discordo. Acho que você pode decidir como irá se sentir e, então, fazer com que se sinta dessa forma, se for uma pessoa determinada. É provável que eu simplesmente não tenha me esforçado o suficiente para ser feliz. Mas isso não quer dizer que não possa me esforçar mais agora.

Sacanagem das bravas!

Este é o típico pensamento imbecil americano: você pode ter tudo o que quiser se se esforçar o suficiente. Eu concordo que isso se aplique a, por exemplo, uma carreira acadêmica ou ao mercado de trabalho, mas à problemas psicológicos? Nem pensar!, principalmente em se tratando de depressão.

Ninguém quer ter depressão, não é uma opção decidir ficar no fundo do poço. É uma doença e tem que ser tratada como tal. Uma mãe escolhe ter depressão pós parto para assim rejeitar o próprio filho? Não, se assim fosse, a placenta não seria uma alternativa de tratamento. Sair com os amigos, ler um livro, assistir a um filme ou ter pensamentos sombrios? Porra, tentar ser feliz e buscar caminhos para isso é uma opção, mas se no meio do processo você se sente deprimido não quer dizer que não se esforçou o bastante.

O que é preciso para ser feliz? Uma dose a mais de vodca? Fala sério Colasanti!

E eu até entendo que possam justificar a frase dizendo que se tratava do pensamento da personagem, não da autora. Aham, beijo técnico, sei! Mas, vou abrir uma exceção e  concordar com isso: a personagem pensa desta forma, não necessariamente a autora. Ok, mas o quão irresponsável é uma escritora que escreve para o público adolescente se sair com uma afirmação dessas? O que vai pensar uma garota que se sente deprimida no momento em que ler isso? É recomendado que ela, somando-se a todos os sentimentos negativos com os quais já tem de lidar também acredite que é culpa dela, que não se esforçou?

Sério, eu tô velho demais pra isso. É uma pena, realmente, estava gostando do livro e ele tinha tudo para ser bonitinho como o “Bem Mais Perto” – apesar de não ter o mesmo charme que ele – até a página noventa e cinco. Depois dali eu fui voto contra e não teve jeito. Nem o final compreensivo, as coisas que se ajeitam, as decisões que são tomadas. Muito menos a identidade secreta do DJ, que fica óbvia assim que o personagem dá as caras.

Mas leiam o livro, e tirem suas próprias conclusões. Pode ser que a página noventa e cinco nem tenha um impacto tão grande assim em vocês.

 


Esperando por Você
, de Susane Colasanti (Waiting for You, 2009Tradução de Luis Gonzaga Fragoso, 2013) – 336 páginas, ISBN 9788581630472, Editora Novo Conceito. [Comprar no Submarino]

{ C }

 

PROMOÇÃO

E, para os que ficaram interessados no livro, a Editora Novo Conceito disponibilizou um kit para sorteio.

Para participar basta seguir os passos indicados no Rafflecopter após fazer o login. Em caso de dúvida, veja neste post como a ferramenta funciona. Também estou a disposição para sanar qualquer dúvida, basta deixá-la nos comentários.

Lembre-se de que é necessário que você possua um endereço de entrega válido aqui no Brasil.

 a Rafflecopter giveaway

PARABÉNS, ALANA SOARES!

Você tem até o dia 30 de Abril para responder ao e-mail que acabei de te enviar.

Muito obrigado a todos os participantes, vejo vocês nas próximas promoções do blog.

Serão aceitas inscrições ate o dia 21 de Abril, e o resultado sai até o dia 25 de Abril. Assim, o vencedor terá até o dia 30 de Abril para se manifestar através do e-mail que lhe será enviado logo após o sorteio.

Em caso de dúvidas, deixe-as nos comentários ou entre em contato comigo através do e-mailnlucianoassantos@gmail.com .

Nossos agradecimentos para a Editora Novo Conceito, que disponibilizou o livro para sorteio.

Para ver todas as promoções do blog, clique aqui. Recomendo que assine o feed do blog, para que o receba via e-mail, e assim ficará por dentro de todas as atualizações.

Boa sorte ;)

 

53 comentários:

  1. Concordo com a sua revolta, apesar de, por eu ter convivido com a depressão dentro da minha casa, saber que quando a pessoa se esforça para sair da cama, ou simplesmente sair para dar uma volta, há uma melhora psicológica. Quando ela aceita que tem um problema então... melhor ainda e com ajuda psicológica ela terá de se esforçar para pensar positivo e ver as situações por outras perspectivas. Então fiquei meio dividida quanto ao seu argumento.

    Beijos. Tudo Tem Refrão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ágata, esta é a questão. Pessoas próximas também tiveram depressão, e a questão aqui é: não escolheram ter. O pensamento positivo e mudanças de atitudes ajudam a melhorar, concordo, mas não acredito que o ato de "se esforçar mais" seja determinante para nunca tê-la.

      Excluir
  2. Que legal! Muita vontade de ler mesmo! :D
    Sua resenha tá ótima, parabéns!!

    ResponderExcluir
  3. Oi, Luciano!
    Suas resenhas são sempre uma surpresa. Lembro que você gostou de Bem mais perto enquanto ninguém gostou e agora que muita gente gosta mais desse, você gosta um pouco menos. hahaha
    Achei interessante que a autora aborde o assunto depressão. Fora os livros da Marian Keyes e um da Julie Buxbaum, não é um assunto que eu veja muito em livro, ainda mais um YA.
    Concordo com você sobre a frase destacada... algumas coisas não são como a gente quer, determinação não tem nada a ver com elas, principalmente quando o assunto é sentimento. E eu sei porque eu passei e passo por isso todo dia há algum tempo. Querer não é poder, neste caso.

    Enfim, acho que talvez isso não me incomode tanto e, muito menos afete, já que saí das fraldas tem algum tempo. =P

    Vou participar do sorteio. Sorte pra mim!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Janaína, pois é, só dei por mim agora que você falou!! Parece que tô jogando no time do contra, rsrs. E acho que todos devem ler mesmo com o que disse sobre o livro, é possível que a frase não irrite tanto as outras pessoas.

      Boa sorte no sorteio ;)

      Excluir
    2. Luciano, esqueci de perguntar: todos os campos do formulário são obrigatórios?

      Excluir
    3. Jana[ina, não, apenas os dois primeiros: comentar na resenha e seguir o blog ;)

      Excluir
    4. ah, está bem. Isso eu já fiz :B
      Obrigada!

      Excluir
  4. O assunto abordo é bem interessante, mas pelo visto não foi bem conduzido. Uma pena mesmo, eu esperava bem mais do livro.

    Bjs

    Da Imaginação a Escrita

    ResponderExcluir
  5. O assunto abordo é bem interessante, mas pelo visto não foi bem conduzido. Uma pena mesmo, eu esperava bem mais do livro.

    Bjs

    Da Imaginação a Escrita

    ResponderExcluir
  6. Uau! Que você é um velhinho levemente ranzinza eu já sabia e acho até legal, quase todas as pessoas que gosto são assim. Mas ainda não tinha te visto mal humorado com um livro, primeira vez.

    E sim, parece pouco, mas as vezes uma frase, uma expressão são a chave para compreender a forma como uma pessoa ver e interpreta o mundo e são o suficiente para nos fazer ama-la ou odiá-la e isso é justo. Na maioria das vezes é uma frase que me faz amar ou odiar autores e pessoas.

    No mais, você é um resenhista competente e então eu confio na sua opinião e vou me poupar o aborrecimento de encontrar algo assim tão prepotente em um livro feito para divertir.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não consegui me conter desta vez, tive que falar. Acredito que justamente o que me irritou foi encontrar uma frase que acredito ter sido leviana em m livro para adolescentes. Fiquei meio preocupado, e é uma pena, eu esperava mais da autora.

      Excluir
  7. Eu sinceramente não sei o que acontece com os livros da Susane Colasanti... Todo mundo encontra algum problema nas histórias dela. Eu inclusive, sou uma dessas pessoas! Quando eu ganhei o "Bem mais perto" fui lê-lo com os dois pés atrás tamanha resignação após ler resenhas de medianas a negativas a respeito do livro.

    Acabou que no final das contas, achei o livro de 0 a 10, nota 3. E eu concordo com você. Ninguém escolhe ter depressão. E por mais que seja o pensamento da "personagem" quem se interessa e cai dentro de uma história de livro é facilmente influenciado (não querendo generalizar, lógico).

    No mais, eu adorei sua resenha e como você expressou a sua opinião aqui. É tão raro ver alguns blogueiros serem tão sinceros assim.

    Dani / @daride

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Daniela, a autora parece mesmo ficar longe da unanimidade, o que não vem a ser algo ruim, e o conflito é sempre produtivo. No meu caso gostei muito do "Bem Mais Perto", já deste aqui............

      Excluir
  8. Oie,
    Nossa concordo com você em muitos pontos, sobre a depressão ser uma doença e que a frase está bem fora mesmo, mas acho que vou ter que ler, conferir e ver se realmente vou me sentir que nem você, ou se terei outra explicação para essa parte. Gosto de ler suas opiniões sinceras amigo.

    Sucesso...beijokas elis!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Elis, a frase está o mais deslocada possível, o que é uma pena, esperava gostar deste livro.

      Excluir
  9. não tive ainda a oportunidade de ler nada da autora... sua resenha ficou bem legal, expressou sua opinião de maneira inédita e diferente, acho que sua critica a pág. 95 só me deixou mais animada para ler o livro, curiosa... Também não concordo com o pensamento... E acho que pode influenciar negativamente minhas criticas do livro, mas poder ser que num contexto geral, o livro seja bacana... Vou ler, e ver se gosto...
    E também concordo que depressão é uma doença, ninguém tem pensamentos ruins por que quer... Não tem como você controlar o que sente e pensa o tempo todo, ou ser feliz sempre...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gislayne, e este é o sentimento que eu espero causar: a curiosidade, No fim, o que vale mesmo é a experiência pessoal de cada um, e muitos podem nem mesmo se irritar tanto como eu.

      Excluir
  10. Puta merda, que frasezinha imbecil e irresponsável. Só reforça a impressão errada de muitos quanto a doenças psicológicas. O filho do vizinho tem síndrome do pânico, e já ouvi pessoas que moram nos arredores dizendo que com "uma boa surra" ele não gritaria e espernearia tanto.
    Sério.
    Erro grande da autora e da editora/preparador de texto por ter deixado essa frase passar. Enfim, não solicitei o livro porque a sinopse deu a impressão de ser um livro adolescente besta, não "sick-lit" (é por isso que eu DETESTO sinopses haha).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isabel, exato! Muita gente já acha que problemas psicológicos são "frescuras", então ver uma frase desta em um livro chega a doer. Ah, compartilho com você minha aversão à sinopses ;)

      Excluir
  11. Oi Luciano!
    Eu também gostei de Bem Mais Perto e queria ler esse livro, mas desanimei um pouco com a sua resenha (que está ótima como sempre). Também me irrito com adolescentes que reclamam de tudo (tenho 28 anos, não tenho paciência pra essas coisas). E também acho que depressão é uma doença, não é algo que alguém escolhe ter ou não ter.

    Beijos,
    Sora - Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sora, achei este bem inferior ao "Bem Mais Perto", do qual gostei bastante, mas acho que vale a pena ler, se você teve uma boa experiência com o anterior.

      Excluir
  12. Acho que nunca fui adolescente revoltado. Reclamava de vez quando pela falta de interesse ou comodidade dos outros (e isso dura até os tempos de hoje, rs).

    Agora falar que a pessoa entra na depressão porque quer é apelativo e sem fundamento. Até concordo que pensamentos negativos atraem coisas ruins, mas a esse ponto não.

    Bom, vou participar do sorteio, porque só desse modo para ler o livro. hahahaha

    Ótima resenha!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lucas, acho que a autora pegou mal..... espero ler algo mais dela, para tirar a má impressão que, querendo ou não, ficou.

      Excluir
  13. Achei a estória de Marisa bem interessante e algo que eu já passei, mas acredito que cada um tem sua forma de superar.
    Alguns livros tem como personagens secundários os mais interessantes

    http://enfimshakespeare.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Ainda não li Esperando por voce, gostaria de ter a oportunidade pra ver se tenho a mesma opiniao sua… mas enquanto nao leio vou degustando aqui de sua resenha e opiniao!
    bjos

    ResponderExcluir
  15. amei a resenha torcendo pra ganhar.....

    ResponderExcluir
  16. Ameiiiiii. Participando!

    Alana Soares

    ResponderExcluir
  17. Tenho Bem Mais Perto e devido a tantos comentários negativos que li, fiquei desanimada em lê-lo.

    Imaginei que esse livro seria mais interessante, mas não estou com clima para adolescentes chatas, aff!

    Concordo que depressão é doença e que a pessoa tem que se esforçar para vencê-la.

    Ninguém tinha citado essa irresponsabilidade da autora com essa questão da bebida alcoólica, que coisa heim!

    ResponderExcluir
  18. kkkkkkkkkkk Adorei sua opinião mais adulta do livro , mas geralmente guase todos os livros que gra em torno de adolescentes tem esses dramas-nao-dramas que só os colegiais de livros sabem fazer bem ,mas concordo ser feliz nao é só uma questao que querer de mudar a mente etc , mas se for discutir isso ficaremos aqui o dia todo e mesmo assim nao chegaremos em lugar algum é um assunto complexo e de carater totalmente diferente para cada um , obrigada pela opiniao sincera sobre o livro , e parabens !

    ResponderExcluir
  19. Hey Lucianoo!!
    Eu tinha escrito um comentário enorme, mas o blogger me trollou e apagou tudo!!! Maldição e.e
    Enfim, fiquei feliz quando você comentou na minha recente resenha de Bem Mais Perto que também tinha gostado do livro (acho que fomos os únicos, meu irmão).
    Enfim, eu fico até feliz por NÃO ter recebido este livro da editora, por que eu odeio quem escreve histórias de depressão sem ter passado por uma/ter tido um parente ou amigo que teve depressão. Acho ridículo como as pessoas acham que nós, que temos depressão, que nos cortamos, que temos bulimia e/ou outros distúrbios; escolhemos isso.
    Enfim, gostei da sua resenha, sinceridade é tudo! Mas vou solicitar o próximo livro da Susane, quem sabe é tão legal quanto o primeiro?

    Beijos!
    www.nathlambert.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nath, eu gostei bastante do "Bem Mais Perto", então me decepcionei bastante também com o "Esperando por Você". Mas é o tipo de coisa que pode passar batido para muitos leitores ;)

      Excluir
  20. Gostei da resenha, agora estou ansiosa para ser a sorteada e ler e tirar as minhas próprias conclusões .

    ResponderExcluir
  21. Parabéns pela resenha muito importante sua sinceridade.
    Como você diz vou ler pra tirar minhas próprias conclusões, gosto é gosto né? Beijos

    ResponderExcluir
  22. Já li várias resenhas sobre esse livro e todas citam que a história é bem óbvia. Pior que a cada vez que leio a respeito, me vejo mais curiosa pra poder eu mesma ficar com essa ''raivinha'' que todos ficam.

    ResponderExcluir
  23. Estou bem curiosa a respeito desse livro. Gosto da capa e amei sua resenha.

    ResponderExcluir
  24. Gostei da resenha Luciano,acho que cada um que ler esse livro vai interpretar de um jeito,mas que você ficou bem irritadinho(rsrsrr)com esse ficou,bjs.

    ResponderExcluir
  25. Já li várias resenhas sobre este livro, mas achei a sua bem completa!!! Enredo bem prevísivel né???

    ResponderExcluir
  26. Não é o tipo de livro que tem a acrescentar, mas acho que vai divertir e entreter, pretendo ler... Beijos!

    ResponderExcluir
  27. Gosto de sobrenatural e fantasia, essa é a minha praia, mas saiu dela com esses livros sobre histórias de vida que digo sempre deito os personagens no divã...Nesse caso sua citação me chamou atenção, ainda mais que vc não gostou dela...bem eu discordo do tal psicólogo (eu sou psicóloga então posso tentar alguma reflexão rs) especialmente pelo modo como ele falou para ela, meio que fatalista demais.
    Qt a conclusão dela talvez ainda não bem elaborada eu já concordo, não podemos mudar as coisas que nos aconteceram, elas foram como foram, mas sim podemos mudar nossa forma de reagir diante do acontecimento e do outro, e somos sim responsáveis por isso. Essa ideia é inclusive trabalhada por Satre, e já me fez perder mtas horas pensando hehehe...

    Miquilis: Bruna Costenaro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bruna, eu acredito - e é só achismo, não sou psicólogo - que estas coisas acontecem por fatores que independem da vontade do sujeito. Acredito que um pensamento positivo é fundamental para se sair da situação, mas não consigo enxergar muito bem como um pensamento negativo - ou, como a autora disse, "falta de esforço" - pode levar a ela.

      Grande abraço ;)

      Excluir
  28. Achei interessante que a autora aborde o assunto depressão. Pretendo ler para tirar minhas conclusões sobre... Amei tua resenha =) Parabéns mesmo! Ah, eu também já li "bem mais perto" e gostei muito!

    ResponderExcluir
  29. Quero MUITO ganhar o livro "Esperando por Você"! *--*
    Já estou participando da promoção :D

    Thamires Nunes

    ResponderExcluir
  30. Estou muito curiosa para conferir o livro, e, apesar de algumas resenhas negativas, ainda assim quero lê-lo. Você, na verdade, apontou bons pontos do livro quanto a questão dos distúrbios da menina, e parece que realmente não ficou muito legal, mas gostaria de lê-lo e tirar minhas próprias conclusões. :)
    Estou participando da promoção!
    Bjos...

    ResponderExcluir
  31. Eu senti sua revolta agora kk' Eu concordo com você, com certeza. Foi bem precipitado a autora escrever essa frase. Depressão, problemas psicológicos é coisa séria, e ninguém deseja ficar assim nunca, as vezes acontece por acontecer. Bem, mesmo com críticas negativas, eu gostaria de ler o livro e tirar minhas conclusões.
    Ah, e gostei muito de sua resenha, está ótima. Você argumenta bem, e é sincero em sua opinião ;)
    Abraço!

    ResponderExcluir
  32. Não concordo contigo. Assim, eu acho que se tu pensar positivo as coisas são melhores sim, mas não que sempre vai dar tudo certo e nada de ruim vai acontecer. Não sei se me entendesse kkk
    Enfim, eu estou louca para ler esse livro.

    ResponderExcluir
  33. Lendo a resenha fiquei com mais vontade de ler Bem Mais Perto.
    Ainda quero ler Esperando por Você, apesar desse ponto de vista com relação a depressão.
    Depressão é coisa séria, acho que quem convive com pessoas que tem sabem que é complicado, e só quem sofre desse mal para entender mesmo.

    ResponderExcluir
  34. Ainda não li nada da autora por isso não posso dizer muita coisa mas vi resenhas dizendo que este foi pior que Bem Mais Perto que já não foi lá grande coisa. Depois dessa fiquei com um pé atrás para ler esses livros. Como nunca li nada cujo tema central fosse a depressão, fiquei curiosa e pretendo dar uma chance ao livro =)

    Bjs
    @tibiux

    ResponderExcluir
  35. Eu ainda não li Bem Mais Perto,então não sei como são os livros dessa autora, mas gosto de livros clichês e gostaria de ler esse pra passar o tempo mesmo nem ligo de ser ruim em alguns aspectos.

    ResponderExcluir
  36. adoro livros com essa pegada.. mais "jovem" adoro e odeio ao mesmo tempo.. auhauhaa ainda não cheguei a ler.. mas parece ser encantador rs. vejo gente concordando e gente descordando da sua opinião.. sei la, vou ficar imparcial aqui. '-'

    ResponderExcluir
  37. Tinha achado a história ótima e fiquei com super vontade de ler, mas odeio aqueles livros que decepcionam, começam bem, você vai se empolgando e no meio pro fim é só tédio e mesmice não esperava que fosse assim, sua resenha me surpreendeu mas mesmo assim vou dar uma chance, porém vou ler sabendo o que me aguardo, espero terminar de ler por que geralmente eu abandono logo! Bjs

    ResponderExcluir

Olá, seu comentário é muito importante para nós.

Nenhum comentário aqui publicado sofre qualquer tipo de edição e/ou manipulação, porém o autor do blog se reserva o direito de excluir todo e qualquer comentário que apresente temática ofensiva, palavras de baixo calão, e qualquer tipo de preconceito e/ou discriminação racial, estando assim em desconformidade com nossa Política de Privacidade.

Oscar